gototop

Hemocentro

A FUNDAÇÃO HEMOCENTRO DE BRASÍLIA, vinculada à Secretaria de Saúde do Distrito Federal, foi constituída pela Lei nº. 206 de 12 de dezembro de 1991 com personalidade jurídica de direito público, sem fins lucrativos, de caráter científico-tecnológico, educacional e de prestação de serviços à população do DF.

Até a sua criação, o Hemocentro de Brasília era uma gerência do antigo Instituto de Saúde/DF, hoje Laboratório Central - LACEN-DF. O edifico sede foi construído em 1984 com área de 3.560 m² localizado no SMHN quadra 03, conjunto A, bloco 3 - Asa Norte - Brasília - DF

 O Estatuto da FHB foi aprovado pelo Decreto 14.937 de 13 de agosto de 1993 e atribuiu à instituição a coordenação do SSCH - Sistema de Sangue, Componentes e Hemoderivados, com o objetivo de incluir no sistema todos os bancos de sangue da então Fundação Hospitalar do Distrito Federal. A centralização das atividades possibilitou a modernização do controle do sangue e hemocomponentes com padronização de metodologias e reagentes, atualização de técnicas, maior economia e segurança transfusional.

Em 1985 foi implantada no Hemocentro de Brasília, de forma pioneira, a triagem sorológica do sangue para o vírus HIV evitando assim, a ocorrência de casos de AIDS transfusional no DF. Vale salientar que somente em 1988, o Ministério da Saúde tornou obrigatória a triagem sorológica para o vírus HIV no sangue a ser transfundido.

Em 1991, num outro trabalho pioneiro, a FUNDAÇÃO HEMOCENTRO DE BRASÍLIA inaugurou a fábrica de produção de Albumina Humana 20%. Toda Albumina Humana produzida foi disponibilizada para a Secretaria de Saúde do Distrito Federal.Em 2001, para atender à crescente demanda por este hemoderivado foi elaborado, em parceria com o Instituto Butantã, um projeto de reforma, automatização e duplicação da capacidade de produção da fábrica.

Por decisão do Conselho Deliberativo da FHB (Resolução Nº 02 de 28 de abril de 2008, publicada na pagina 52 do DODF Nº. 91 de 15 de maio de 2008), as atividades da fábrica de produção de hemoderivados foram encerradas, por não mais existir viabilidade técnica-financeira para o seu funcionamento. Prevista inicialmente para 2010, a entrada em operação da Empresa Brasileira de Hemoderivados – Hemobrás para produção dos hemoderivados que o país importa atualmente a um custo elevado está com nova previsão para 2014.

Em 1999, considerando o aumento crescente da demanda das Unidades de Saúde da SES pelos serviços prestados pela FHB tais como: o fornecimento de sangue e hemocomponentes e a realização de exames sorológicos e imunohematológicos, o espaço físico tornou-se insuficiente, não atendendo às necessidades das áreas administrativas e técnicas. Como solução, foi elaborado, em conjunto com o Departamento de Engenharia da SES, projeto para construção do segundo bloco, com área de 2.654 m². A obra concluída em 2002 abriga os setores administrativos da FHB. A área técnica permanece no edifício sede.

Ainda em 2002, foi executada uma ampla reforma no edifício sede. Os serviços realizados contemplaram reforço estrutural, novas instalações elétricas e hidráulicas, ventilação, sonorização, rede lógica interligando os setores, adequação do espaço físico dos setores de recepção e triagem do doador, da sala de coleta de sangue, do refeitório do doador, dos consultórios médicos, do Núcleo de Captação, Registro e Orientação ao Doador, a ampliação e adequação da Gerência de Processamento e Distribuição de Sangue e Hemocomponentes. Também foram reformados os laboratórios, a área onde está instalada a Presidência da FHB e assessorias e a construção do elevador.

Ações de melhoria têm sido continuamente implementadas, com o objetivo de dinamizar as atividades da FHB, bem como melhorar a segurança e qualidade dos serviços.

A adoção das ações educativas abaixo aumentou significativamente o índice de doação de sangue:

  • "TROTE SOLIDÁRIO", onde o calouro em vez de trote doa sangue.
  • CAMPANHAS NA TELEVISÃO em clips divulgados gratuitamente.
  • TREINAMENTOS para formação de multiplicadores.
  • CAMPANHAS em órgãos e instituições públicas e privadas.
  • DOADOR DO FUTURO.
  • CLUBE 25.

Foram editados o "MANUAL DO DOADOR", a "CARTILHA DO DOADOR" e a cartilha"HEMOCENTRO NAS ESCOLAS" que é parte do mesmo programa.

A fim de viabilizar o funcionamento de vários serviços da Secretaria de Estado de Saúde - SES, a FHB realiza sorologia para transplantes de órgãos no DF, sorologia para pacientes renais crônicos submetidos à diálise e fenotipagem de pacientes da Rede de Saúde da SES.

Em busca da melhoria contínua e dos macro-objetivos de crescimento, inovações científico-tecnológicas e administrativas foi transferido, em 2009, do Hospital de Base da SES para a FHB o Laboratório de HLA, hoje denominado Laboratório de Imunologia de Transplantes/GPHE da FUNDAÇÃO HEMOCENTRO DE BRASÍLIA.

Seguindo o mesmo contexto e dando continuidade ao cumprimento de metas estabelecidas pela  FHB, em 2009 foi iniciada a reforma da área onde era localizada a Fábrica de Albumina Humana da FHB, para a implantação do BSCUP – Banco de Sangue de Célula de Cordão Umbilical e Placentário, em parceria com o INCA e a Fundação Ary Frausino, inaugurado em 01 de junho de 2010, dando assim continuidade ao Programa REDE BRASILCORD – Rede Nacional de Bancos Públicos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentátrio.

Ainda em 2009, foi reformada área física para instalação dos equipamentos para AFÉRESE. Os procedimentos de coleta por aférese iniciaram-se em janeiro de 2010.

Na busca da melhoria da satisfação, do desenvolvimento e motivação dos servidores e parceiros foi realizado no ano de 2009, concurso público com vistas ao provimento de 65(sessenta e cinco) vagas, outra meta alcançada do Planejamento Estratégico da FHB.  Além das vagas constantes no Edital foi autorizada a contratação de outros servidores totalizando assim, 346 colaboradores na FHB em 2011.

2011

  • Em janeiro de 2011, a Fundação Hemocentro de Brasília (FHB) inaugurou o Laboratório de Hemostasia vindo garantir o diagnóstico e o acompanhamento adequados especialmente dos pacientes com coagulopatias hemorrágicas hereditárias, assistidos no Distrito Federal
  • No mesmo ano, a FHB começou a atualização do cadastro dos pacientes com coagulopatias hereditárias para conhecer o universo existente e propor uma política de atendimento à saúde destes pacientes, além de gerenciar os medicamentos para essas pessoas e sua entrega domiciliar aos pacientes graves e/ou em profilaxia
  • Em abril de 2011 iniciou- se a implantação dos testes NAT (Nucleic Acid Test) na triagem dos doadores de sangue. O teste NAT é um teste de biologia molecular, que permite a identificação da partícula de um determinado agente infeccioso (DNA/RNA), diminuindo a janela imunológica e a detecção desse agente infeccioso no sangue de um doador ou paciente.  Ao final de 2011, entrou oficialmente na rotina do laboratório de triagem de sangue dos doadores da FHB, o exame NAT que, somente em 2013passou a ser obrigatório no território nacional.
  • Em 14 de abril de 2011 foi publicada a Portaria nº 54, de 14 de abril de 2011 que regulamentou as competências da FHB e o Sistema de Sangue, Componentes e Hemoderivados  , no âmbito da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal, dando competência à FHB para elaborar e implementar o Sistema de Sangue, Componentes e Hemoderivados – SSCH, estabelecendo, também, a Fundação Hemocentro de Brasília como órgão gestor dessa política no Distrito Federal.

Essa Portaria também delegou competência a FHB para coordenar as Agências Transfusionais (ATs) e as unidades de Hemoterapia e Hematologia da rede pública dos hospitais da SES/DF

2012

  • Em fevereiro de 2012 a FHB colocou à disposição dos doadores voluntários de sangue e dos pacientes do Ambulatório do Hemocentro um transporte da Rodoviária do Plano Piloto para o Hemocentro de Brasília.
  • Em julho de 2014 foi inaugurado o equipamento Citômetro de Fluxo que tem como função fazer a quantificação celular do BSCUP e do TMO e realizar o diagnóstico de plaquetopatias hereditárias
    • Em 9 de agosto de 2012 foi publicada a Portaria nº 162 que atribuiu competência à FHB, no âmbito da SES/DF para coordenar e regular a atenção integral aos pacientes com coagulopatias hereditárias. Com a nova Portaria, a FHB passa a ser responsável pelo atendimento ambulatorial dos pacientes com diagnóstico confirmado de coagulpatia hereditária hemorrágica, em todo o DF.
    • No dia 10 de agosto de 2012 a FHB inaugura o Ambulatório do Hemocentro, para atender os pacientes com coagulopatias hereditárias passando, posteriormente, a atender os portadores de doenças falciformes

2013

  • No dia 14 de junho de 2013 a FHB inaugura o Abrigo de Resíduos Sólidos, colocando o Hemocentro em conformidade com as legislações da ANVISA e CONAMA que dispõe sobre o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Na mesma data, a FHB inaugura um conjunto de Câmaras Frias para o armazenamento do sangue trazendo
  • uma maior capacidade de armazenamento dos hemocomponentes, além de passar a fazer um melhor monitoramento da cadeia de frio e uma melhor eficiência na limpeza e nas manutenções das mesmas.
  • No dia 31 de julho de 2013, saiu publicado no DODF o Decreto nº 34.538 que trata da nova estrutura administrativa da FHB, vindo substituir o antigo Estatuto da instituição que datava de 1993 e não contemplava toda a complexidade das atividades desenvolvidas pelo Hemocentro de Brasília
  • O novo Estatuto veio normatizar e atualizar as competências do Hemocentro de Brasília, o gerenciamento dos novos laboratórios, a criação do Ambulatório do Hemocentro, a coordenação da Atenção Integral à Saúde dos pacientes com coagulopatias hereditárias e dos pacientes com hemoglobinopatias hereditárias , a implementação do banco de sangue do cordão umbilical e placentário do DF, entre outras frentes abertas na gestão 2011-2014
  • A Secretaria de Estado de Saúde do DF, por meio da Portaria nº 292 de 31 de outubro de 2013 (publicada no DODF de 07/11/2013) atribui competência à FHB para coordenar e regular a Atenção Integral aos Pacientes com Hemoglobinopatias Hereditárias
  • Em novembro de 2013, dá-se início à realização dos transplantes de medula ósse (TMO), para os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS-DF), por meio de uma parceria entre a Coordenação de Hematologia da Central de Notificação, Captação e Distribuição de órgãos e tecidos do DF e da Fundação Hemocentro de Brasília, com o Instituto de Cardiologia do DF (ICDF-FUC). No dia 20 de novembro de 2013 foi realizado o primeiro Transplante de Medula Óssea para os pacientes do SUS no Distrito Federal.
  • Em 24 de dezembro de 2013 foi publicada a Lei nº 5.277 que ampliou o quadro de pessoal da FHB

2014

  • No dia 09 de janeiro de 2014, por meio do Decreto nº 35054, publicado no DODF em 31/12/2013, a FHB publica seu novo Regimento Interno que tem como competência coordenar, normatizar e gerenciar o Sistema de Sangue, Componentes e Hemoderivados, como órgão gestor dessa política
  • No dia 7 de junho o DODF publica a abertura de vagas para os cargos de analista e técnico de atividades do Hemocentro, visando a realização de novo concurso público para a FHB
  • Em 26 de novembro de 2014 foi inaugurado o primeiro laboratório sorológico robotizado da América Latina. O procedimento pioneiro englobará todas as fases do exame sorológico das amostras pré analítico, analítico e pós analítico. A robotização visa conferir uma padronização ainda maior dos exames, aumentando qualidade e minimizando erros.
 
BANNERS INSTITUICOES SEM SLOGAN 241X80-28
banner 240x80px 2
hecentro nas escolas
anemia

Botão Coleta Externa

banner site foldere

VOCÊ ESTÁ AQUI: Início Sobre o Hemocentro O Hemocentro